Segundo pesquisa divulgada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil é o terceiro país que mais investiu proporcionalmente na educação. 82% a mais em relação a 2005 . Apesar disso, o gasto por aluno ficou entre os três piores dentre os mais de 30 países estudados.

Os dados fazem parte do mais recente relatório publicado mundialmente nesta terça-feira (24): Education at a Glance (Um olhar sobre a educação, em tradução livre). Em 2012, mais de 17% do total do investimento público brasileiro foi destinado à educação, ficando atrás apenas do México e Nova Zelândia.

Mesmo com o investimento total alto, o gasto por aluno da educação básica ainda continua baixo: cerca de 3.000 dólares anuais por aluno. O valor atinge aproximadamente um terço do que a média dos países da OCDE, que gastam cerca de 8.200 dólares por aluno dos anos iniciais, 9.600 por aluno dos anos finais e 9.800 por aluno do ensino médio.

Noruega e Suíça investem quase dez vezes mais que o país, e o Brasil perde ainda para latino-americanos como Chile e México, que gastam o dobro. Os índices nos inserem na 32ª colocação no ranking, dentre os 37 países com dados disponíveis analisados.

Avanços

Em outra perspectiva de análise, porém, mesmo os índices negativos apontados podem ser considerados promissores. O volume de recursos investidos em educação básica no Brasil foi da ordem de 4,7% do PIB, enquanto a média OCDE é de 3,7%. Quando comparado a 2005, o investimento por aluno da educação básica no país cresceu 210%, enquanto na média da OCDE esse crescimento foi de 121%.

Francisco Soares, presidente do Inep, em declaração concedida terça (23) durante o lançamento do relatório no Brasil, apontou que a dívida educacional brasileira “é muito grande, mas está sendo paga”.

hands-600497_1920

E comentou sobre as diferenças econômicas e sociais entre os países pesquisados. “Quando se diz que o Brasil aplica um terço [de recursos por aluno] de países como a Bélgica, entende-se que é possível termos o mesmo valor aqui. Não é possível. A Bélgica tem quase três vezes o PIB [per capita] do Brasil ”

O comentado por ele, se deve em consideração ao fato da OCDE ser uma organização internacional formada em sua maioria por países desenvolvidos, de economias com elevados PIB per capita e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Enquanto o Brasil não faz parte do grupo, é apenas um dos parceiros.


Como investimentos em educação possuem um retorno lento, e o Brasil apresenta um déficit grande no setor, ainda enfrentamos uma realidade longe da ideal. O cenário, no entanto é promissor: os efeitos são tímidos comparados aos países estudados, mas significativos diante dos índices anteriores.

Mesmo com o sistema educacional brasileiro em crescimento, você acredita que estamos dedicando o máximo potencial que poderíamos a educação?

Quer ter alunos, pais e professores mais satisfeitos?
Transforme sua escola em uma referência com nossos conteúdos exclusivos sobre gestão, marketing e tecnologia na educação!
Não quero receber informações para melhorar minha escola, Nunca irei me cadastrar.